Redes Sociais

Anuncio

Celular

Operação Salva Semestre

Celular

Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

terça-feira, 5 de julho de 2011

Vampiros, Medo e fascínio ao longo dos tempos.

 

 




Desde o livro Drácula de Bram Stoker, quando foi descrito nesta literatura a estória do vampiro, conde Vlad Dracul, e com o sucesso atual da série Crepúsculo, vemos o surgimento de “um ser” conhecido não somente nós tempos atuais, mas que ao longo da história consegue levar deslumbre para muitas pessoas, mas que também foi sinônimo de medo e terror no folclore de muitos povos.

A primeira menção a um ser sobrenatural que se alimentava do sangue de suas vitimas foi Akhkharu, na Suméria, e na babilônia existia o mito do Ekkimu, um morto-vivo que saia de sua tumba para alimentar-se do sangue de quem estava próximo do local.

Muitos outros mitos sobre mortos – vivos que se alimentavam de sangue surgiram em outras regiões. Na Europa existia diversas alusões sobre este ser. Na Bulgária tem-se o Vorkolaka, o Nelapsi é o ser hematófago (que se alimenta de sangue) na Europa Central. Na Ásia se encontram mitos do Chiang-Shih na China e do Algul nos países árabes.

Mas no ocidente o grande representante deste ser, o vampiro moderno, surgiu com a obra literária do escritor irlandês Abraham Bram Stoker, Drácula, lançada em 1897. Muito se comentou se inspiração para o autor foi o a biografia do nobre Vlad Dracul, da Transilvânia (atual região da Romênia), sendo que o mesmo recebera o título de Draculea (filho do dragão). Após a sua morte o nobre Vlad recebeu a alcunha de Tepes, empalador, devido a utilização deste método de tortura contra seus inimigos. Contudo a vida de Vlad Dracul não foi a fonte de inspiração para Bram Stoker, que planejava colocar o título de sua de “Conde Vampiro”, e a utilização da vida de Vlad na sua obra surgiu após o início da mesma.

No cinema o primeiro grande filme sobre vampiro foi Nosferatu, filmado em 1922. Sendo o cinema um lugar profícuo para estas produções, entre elas pode ser citado: Son of Dracula (1943), Dracula: Prince of Darkness (1966), Drácula de Bram Stoker (1992), Entrevista com o Vampiro (1994), Blade, O caçador de vampiros (três filmes 1998, 2002 e 2004), e a saga Crepúsculo (iniciado em 2009).

São diversas as séries de televisão, livros, e demais “produto de consumo” em que os vampiros são os personagens principais, e isso demonstra que este ser, do morto – vivo, estava, e ainda se encontra, presente no imaginário social.

Cleber "Icarus" Roberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário