Redes Sociais

Anuncio

Celular

Operação Salva Semestre

Celular

Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

terça-feira, 30 de agosto de 2011

O PODER DOS TRANSPORTES


O PODER DOS TRANSPORTES
Por: Bruno Ferreira



O poder dos transportes na história quais foram e para que serviram ou servem? 
Durante a história vemos o ato da "mudança" que se faz presente no homem, na pré história o homem era essencialmente nômade, ou seja, mudava constantemente de lugares em busca da sobrevivência a partir do momento em que o homem passa a produzir seus alimentos e a cultivar e armazená-lo o ato nômade desaparece aos poucos. Mas nesse processo, esta o ato de transportar o alimento de forma rápida, ágil que possa não prejudicar, surge as primeiras formas de transporte através de animais como vacas e cavalos.
o avanço das civilizações o transporte vai se desenvolvendo a medida em que se necessita mais dele para melhorar a vida humana fazendo, primeiro com intercâmbios entre as cidades e entre os países surgem outras formas de transportes.
O como o uso do cavalo que e empregado em diversas formas tanto civil como militar, o boi e empregado no campo. Nos rios e mares o homem inventa as embarcações vemos os fenícios como ótimos construtores de barcos e também portugueses, vinks e ingleses.
         Os portugueses foram ótimos construtores de embarcações foram através deles que o mundo começou a se globalizar, suas caravelas eram revolucionarias para a final da idade media e começo da moderna.
Os ingleses também foram ótimos navegantes mercantes, mas desenvolveram outro transporte de extrema importância para o desenvolvimento da humanidade o Trem a vapor, essa invenção que fez com que a Inglaterra se torna-se uma potencia  mundial.
O motor a vapor é inventado na Inglaterra onde expande para o  mundo, construindo desta forma uma revolução de transportes de massas tanto comercial, como urbano, mas a grande mudança que o mundo sentiu foi com a chegada de um meio de transporte individual que pudesse ir a qualquer lugar o carro movido pelo combustíve, o carro que tambem denota o nivel social
Esse transporte aparece no fim do século XIX e se desenvolve no século XX, temos a certeza de que nesse ultimo século, apareceu grande quantidades de transporte como um dos mais incríveis que o mundo viu, com ele de fato o mundo se tornou pequeno o Avião criado por um brasileiro que ganhou os céus na França, seu aperfeiçoamento ganharia o mundo.
                Na ambição do homem por sempre estar em constante mudança e movimento e ganhar os céus além do planeta, foi assim que na segunda metade do século XX o espaço era o objetivo,  parece à invenção do foguete espacial, percebemos que nesse longo processo de mudanças  nos transportes e curioso notar que o homem sempre busca mais, mas poucos homens foram capazes de buscar o algo a mais.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Do Feudalismo Para o Capitalismo

Do Feudalismo Para o Capitalismo
Por: Bruno Ferreira



A transição do feudalismo para o capitalismo aconteceu num período que ouve varias mudanças no setor, político, econômico, social e religioso. Com a ascensão de uma nova classe a Burguesia no fim da idade media começa a mudar a estrutura social, pois essa classe vinda do campo para a cidade começa a crescer a tomar forma e modificar a economia que era extremamente rural passando para artigos manufaturados. 
A burguesia faz a aliança com o rei e em troca da segurança, o rei passa a se tornar o senhor supremo um rei extremamente absoluto em troca a burguesia queria a proteção, mas em 1789 a França não suporta a crise que passa, a burguesia se reúne com a classe mais pobre para tomar o poder político na França, querendo uma nova constituição.
Após conseguir isso a burguesia se torna a classe dominante do sistema colocando o seu modo de vida, nesse processo de transição a igreja católica perde seu poder e suas terras com as reformas que a burguesia procura fazer, um estado laico.
A política passa a ser controlada pela burguesia desta forma ela controla o modo econômico esse agentes de transição teve consigo o surgimento em alta escala do capitalismo que cresce e se transforma de pequenos burgos, para empresas de navegações ate grandes indústrias que produz grande quantidade de bens materiais para a população.
Os países que destacam nesse período e a França de forma política com a revolução francesa, e a Inglaterra que passa a ser a indústria do mundo moderno, disponibilizando de todos os fatores para a produção e distribuição de seus produtos, na Inglaterra encontrava-se lá matéria prima, mão de obra, uma política que aceitava facilmente a burguesia pois já havia feito a reforma política antes mesmo da França.
Nesse período de transição a igreja perde seu poder e os alemães passam a querer suas terras que estavam nas mãos da igreja aproveitaram deste modo das idéias de um monge Martinho Lutero, fizeram os protestos e formularam uma nova religião cristã.
A sociedade no período de transição beneficiou a nova classe que surgia a Burguesia, mas os trabalhadores do campo e da cidade foram excluídos do processo, ficando a margem do processo político e econômico.
Por fim vários autores comentam o período da transição do feudalismo para capitalismo dentre eles Karl Marx, Max weber, e outros, Marx cria uma grande obra sobre o período na qual faz surgir uma critica ao sistema do capitalismo.
Marx fala que uma sociedade e determinada pelo modo de produção exemplo o modo de produção do feudalismo tinha as seguintes caracteristicas: servil, comunal, agricola, monarquista no capitalista o modo de produção tem as seguintes caracteristicas, individual, propriedade privada, industrial, salarial. 


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Semana de História 2011

Olá caros amigos veanha parcipar da semana de História 2011 da faculdade Dom Bosco será uma semana maravilhosa.

Hitler no Poder


Nazismo


Nazismo
Por: Bruno Ferreira



 O nazismo surge na Alemanha e um partido político com idéias extremamente racistas e com forte opinião, aproveitando o momento em que a Alemanha vivia pós guerra seu líder o Adolf Hitler aproveita do momento de dificuldades políticas para implantar seu modelo político econômico, com um discurso forte racista de extrema direita Adolf Hetler chega ao poder.
 A essência do Nacismo era o totalitarismo e o racismo com forte oposição aos movimentos existentes aproveitando da fragilidade da Alemanha, e com ótima oratória Hitler chega ao poder, e vai aos poucos pregando um ódio racista contra as minorias que viviam na Europa como judeus, ciganos, homossexuais entre outros.
Em sua idéia central o nazismo pregava o superioridade ariana das raças dizendo que ela era um raça definida superior perante as demais raças.
A política econômica do nazismo
A teoria econômica nazista preocupou-se com os assuntos domésticos imediatos e, em separado, com as concepções ideológicas da economia internacional.
A política econômica doméstica concentrou-se em três objetivos principais:
A queda do Nacismo só acontece com a derrubada de Hitler do poder em 1945, com a vitoria dos aliados, sua política e sue fascínio fez a Alemanha se encantar por bandeiras extremamente desprezíveis para o mundo de hoje.
Hoje o mundo repudia regimes extremamentes autoritarios sem democracia, e busca por direitos para que as minorias se expresse de forma democratica. 


domingo, 21 de agosto de 2011

Olá caro leitor - Comunicado


Olá caro leitor um abraço a todos que vem lendo o blog história Bruno, gostaria de deixar claro que procuro ter uma visão geral da história e contar uma história de forma simplória e clara para todos deixando o leitor por dentro dos assuntos historiográficos, deixando aqui nesse blog um espaço plural e dinâmico.

Faço isso pois recebi mensagem fortemente exaltada.

sábado, 20 de agosto de 2011

Homossexualidade na História


Homossexualidade na História
Por: Bruno Ferreira



Ao longo da história valores da homossexualidade foi admirado e condenado, cada cultura tem uma percepção sobre o homossexualismo, essa influência esta muito arraigado a religião e cultura desse e a influencia das religiões monoteísta  considera o homossexual como algo distante da doutrina proposta por essas religiões
As religiões de origem mais orientais aceita com maior acolhimento, o homossexual no ao seu meio, mas ocorrem discriminações velada.
Durante a História o homossexualismo esteve presente na Grécia era muito comum o mestre aquele que detinha a sabedoria andar com belos rapazes, esse ato era até um status social, as famílias dos rapazes colocava seus filhos com esses mestres e pensadores para obter o conhecimento, havendo na Grécia duas escolas para a formação a de pensadores e a militar.
Em Roma também era algo do cotidiano, o ato homossexual, a partir da queda do Roma do crescimento do cristianismo pelo mundo antigo e também da formação da igreja católica o ato homossexual foi sendo deturpador e pecaminoso a igreja católica passa tomar conta da política, fé e moral da Idade Media, se algo acontecesse certamente a punição para a pratica homossexual seria forte
 Com o avanço de reinos na Europa e do surgimento de uma classe nobre, surge um homossexualismo nos reinos,  para algunes historiadores vários reis eram homossexuais como exemplo o rei Luiz XVI, entre outros do período e posterior, mas como era o rei absoluto certamente não haveria uma punição.
A partir do século XX surge um aumento de homossexuais na busca de seus direitos civis e no seu reconhecimento, esse movimento aparece nos países desenvolvidos com grande força nos estados unidos, e começa a espalhar para o mundo, várias pessoas começa a participar, o homossexual que já foi tratado de subversivo, louco e doente agora vai a luta para conseguir direitos.
Nas ultimas décadas a mídia, novelas e filmes vêm tratando o caso homossexual com mais profundidade e a partir daí surge estudiosos no assunto busca explicações para os comportamentos sexuais não apenas homossexual, mas também hetero nos últimos anos o tratamento a essa minoria e a busca de direitos civis vem se concretizando em alguns países.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Grandes Momentos dos Debates Politicos (1982 a 1998)


Vale a pena ver o video, ai vemos um pouco dos debates da tv brasileira, esses debates fizeram História.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Escravidão um Processo Histórico


Escravidão um Processo Histórico
Por: Bruno Ferreira


 Fonte: http://avenidadanet.blogspot.com/2009/07/como-foi-escravidao-no-brasil.html


A escravidão e um meio econômico e social que vem seguindo o seu curso na história e também vêm adaptando-se ao longo do processo histórico. Podemos buscar as primeiras formas de escravidão na antiguidade ai o homem começa a se organizar em vida social, em grupos com o aparecimento de pequenas vilas ou aldeias.
Com o surgimento de uma estrutura social com vários papeis sociais aparece um deles que e o escravo essas comunidade vão organizando-se em busca de novas tecnologias, e acaba entrando em conflito com outras tribos e conquistando essas tribos, os conquistados viram uma mercadoria desse novo grupo que conquistou, aparece com isso a figura do escravo submisso a um senhor.
Com o avanço das comunidades e do surgimento dos estados o escravo vira a grande mercadoria, vemos escravos no Egito antigo, Roma antiga, Grécia, reinos da mesopotâmia.
Na Roma antiga o escravo era um grande motor de desenvolvimento, pois era empregada em diversas atividades como construção de pontes, estradas, fortificações, palácios entre outros, havia também o escravo que trabalhava no lar em diversas atividades para servir o seu senhor.
Na idade media a figura do escravo perde sua força com o processo de transformação da economia e da política e vida social, surge à figura do servo, não chega ser um pleno escravo, mas tem fortes vínculos escravisticos que o faz quase um escravo.
Na modernidade com o surgimento das navegações e do capital a partir dai o escravo ganha força nas colônias do novo mundo com um grande trafego de escravos vindos do continente africano para as Américas.
Temos que ressaltar que o escravo na antiguidade não era propriamente negro, mas no fim da idade media e moderna o escravo era negro, pois em sua maioria vinha da áfrica. O escravo da America trouxe consigo uma bagagem social que foi um dos fatores para o enriquecimento da cultura das Américas entre esses os países da America que recebeu essa forte cultura está o Brasil.
O Brasil foi um dos últimos países a deixarem de ter escravos foi abolido a escravidão em 1888, por uma forte pressão da poderosa Inglaterra para o fim da escravidão assim desta forma vária produtos das indústrias inglesas poderiam chegar ao Brasil que seria um forte mercado consumidor da Inglaterra.
No século XX o processo para o fim da escravidão ganha força por todo mundo vendo que um ato desumano esse processo de igualdade de cidadão vinha vindo nos últimos dois séculos, mas no século XX isto  se torna inaceitável em vários meios.
Mas a escravidão ainda persiste em vários rincões do mundo, esse novo tipo de escravo e preso nesse processo de escravidão quando ocorre um baixo salário, uma forte jornada de trabalho e forte opressão.
Esse novo escravo quase sempre ou sempre com pouca escolaridade pobre e com uma vida sofrível, que busca em qualquer emprego a luta para sobreviver, ai surge os exploradores dessa mão de obra, no Brasil isso ocorre no campo nas regiões nordeste e norte e centro oeste, e existem também os que são explorados em são Paulo que trabalham horas por poucos reais.
A escravidão muda de lugar de característica, mas sempre existiu, e o escravo sempre e o mais fraco da história, cabe no mundo contemporâneo que vivemos denunciar para que essa pratica desumana não aconteça

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Os Protestos da História.


Durante a História a manifestação em busca de direitos se faz presente, as minorias ou mesmo a maioria vai aos protestos contra algum orgão que faça parte da opressão de direitos civis ou mesmo a falta de espaço para opinião, abaixo vai um dos maiores protestos da história.
LUTAR E BUSCAR SEUS DIREITOS, FAZ PARTE DA CONDIÇÃO HUMANA É UM DIREITO SEU TER DEMOCRACIA E VOZ E MOSTRAR SUA OPINIÃO, BUSQUE VALER ISSO NA SUA CIDADE, ESTADO E PAIS

01 – 1.773 – Boston Tea Party não era exatamente uma festa, o abuso de poder do império britânico chegava ao limite. Como os americanos não tinham sequer representante no parlamento britânico, essa questão do monopólio do chá que vinha da Índia, foi apenas o começo da luta pela independência.
02 – 1.930 – Gandhi/Satyagraha – O monopólio britânico na Índia, levaria a um protesto, provocando a prisão de cerca de 80.000 pessoas, pessoas que desafiaram o império.
03 – 1.963 – Duzentas mil pessoas na luta pelos direitos civis nos EUA, com a participação de Martin Luther King Jr, “I Have a Drean” – Eu tenho um sonho. Não houve violência, mas, algum tempo depois, a família Kennedy não seria a única a chorar seus entes queridos.
04 – 1.969 – StoneWall – No Greenwich Village, a máfia cedeu um lugar para os gays e lésbicas beberem e se divertirem, mas quando a polícia invadiu e fechou o local, houve tumultos e confrontos com a polícia em todo o Greenwich Village.
05 – 1.969 – Guerra do Vietnã – Os americanos cobraram caro pelo envolvimento dos EUA no conflito vietnammita. Foram cerca de 500 mil pessoas no maior protesto da história, e essa foi apenas uma parte da manifestação que se espalharia por todo o mundo.
06 – 1.978 – Irã – A praça Shahyad de Teerã seria o início de uma manifestação iraniana que atingiria 10% de todo o país, foi estimado de 6 a 9 milhões de pessoas. O povo pedia a renúncia de xá Mohammed Reza Pahlavi e a volta de Grand Ayatullah Ruhollah Khomeini. O Irã apresentava a sua “democracia” ao mundo.
07 – 1.986 – Corazon Aquino volta às Filipinas, após a morte de seu marido, iniciando uma luta pela verdadeira democracia nas Filipinas.
08 – 1.989 – Quando um rebelde desarmado ficou a frente de um tanque, o mundo inteiro pôde ver o que de fato acontecia na China. Não se sabe muito, mas o pouco que se sabe chocou o mundo inteiro.
09 – 1.989 – Purple Rain – Milhares de ativistas se mobilizaram pela luta contra o apartheid na África do Sul, dias antes das eleições parlamentares. A idéia da polícia usar água com tinta roxa, contra os manifestantes, ficou conhecida no mundo inteiro, só o efeito foi o contrário.

A História do computador


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A globalização


A globalização
Por: Bruno Ferreira



A globalização não começou ontem ela vem acontecendo durante a história e nos últimos anos o ritmo aumentou de forma mais acerada.
A partir do avanço da navegação e da descoberta de um novo continente o americano o mundo ficou pequeno, a partir daí podemos ver o avanço do comercio, indústria e troca de culturas.
O primeiro país a se beneficiar com a conquista dos novos continentes foi Portugal que em breve formou um grande império ultramarino a onde tinha entrepostos comerciais espalhados por vários pontos do globo.
Com a descoberta do ouro na America espanhola a Espanha se torna a senhora da riqueza do mundo ouro nas Américas fez a Espanha virar a potencia dos mares, e a falta do sucessor em Portugal fez com que Felipe II se torna-se rei da Espanha e de Portugal formando uma grande potencia .
            A Inglaterra e a França surgem nesse processo de globalização, a Inglaterra surge como a grande fabrica do mundo, criando um novo tipo de capitalismo o industrial em larga escala, desta forma seus produtos invadem o mundo todo, tirando da Espanha o seu ouro através dos produtos manufaturados.
            A frança vem logo atrás com o poder de unificar a Europa por meio de um General Napoleão Bonaparte, mas ele cai diante de sua audácia.
            Nos séculos posteriores as 13 colônias inglesas da America consegue a  independência, cria e aumenta o estado, e faz aos poucos surgir uma super potencia mundial, esse que impulsionaria o mundo com o capital financeiro e com o surgimento de bolsas de valores e ações e papeis de suas empresas multinacionais, o capitalismo toma uma forma global.
            A depois da primeira e segunda guerra o mundo se acostuma com o termo global e da troca de mercadorias, acontece em 1989 a queda do muro de Berlim e anos depois o socialismo cai, diante da pressão interna e externa.
            O mundo nas ultimas décadas se torna globalizado pois permite uma grande troca de informações em poucos segundos a onde qualquer pessoa estiver, o avanço tecnológico permitiu esse grande avanço de informações que são usadas para negócios e entretenimento e laços sociais e culturais.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

A Imagem na História

A Imagem na História

Por: Bruno Ferreira



A imagem na história sempre foi algo fascinante começou bem antes da história na pré-história com o desenho em cavernas era algo que o homem procurava registrar suas caçadas e o desenho nas paredes de cavernas é encontrado em varias partes do mundo.
No surgimento das primeiras civilizações na crescente fértil vemos o avanço das artes e da imagem no Egito o alfabeto e as figuras em paredes são algo fascinante, as paredes do palácio nelas eram contadas as histórias das famílias dos faraós e do seu povo.
         Vemos que ao passar do tempo a região da crescente fértil e um lugar muito rico de imagens e esculturas o homem percebe-se que o homem tem a necessidade da imagem na vida do tentar reproduzir a arte.
         A Grécia se torna um lugar maravilhoso para as esculturas dos deuses, em Roma a forma da imagem e muito presente, tanto para registrar atos religiosos como para registrar as figuras políticas dos imperadores romanos, a cunhagem do rosto do Cesar na figura da moeda e algo de extrema importância para cada novo Cesar que chega ao poder.
         Na idade media a igreja se torna a grande propagadora da imagem de Jesus e dos santos, a igreja tinha uma forte presença social, moral e também artística as pinturas se desenvolve com o avanço tecnológico a pintura em óleo se torna presente para registrar mais facilmente a vida do cotidiano e dos grandes atos políticos os quadros pintados a mão chegam a perfeição com grandes mestres das artes, como Michelangelo, Da Vince e muitos outros a perfeição da imagem dos pintores alemães são únicas.
         As artes no do século XIX e XX da espaço para um invento novo a foto, uma imagem capturada em um exato momento, surge essa mágica esse invento que proporciona maior documentação e avanço nos meios de comunicação, e no meio social familiar, a fotografia fica popular durante os anos que segue o século XX, na segunda metade do século XX a imagem fotográfica fica colorida e surge novas tecnologias, para revelar a foto.
         A partir das ultimas décadas a imagem se faz por sua impressionante rapidez de informar, e estabelecer vínculos sociais, a internet e as redes sociais tomam conta da vida social hoje, e a foto se faz presente em todas elas, deste modo observamos que desde os primórdios do homem a imagem se faz presente como forma de informar, de entreter de imaginar de visualizar.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Os Pensadores das ciências sociais

Os Pensadores das ciências sociais

Por: Bruno P.F




De inicio Karl Marx um dos grandes pensadores sobre o capital e suas conseqüências e suas reações no futuro formulou um conjunto de idéias, e formulou uma nova forma de modelo econômico que influenciou politicamente vários lideres, essa forma de governo e o socialismo, teorizou sobre isso e escreveu muitos livros.
Marx que escreveu juntamente com seu parceiro Frederick Engels, e considerado um dos grandes pensadores da economia, política, filosofia, história  ele tambem exerceu também a profissão de jornalista, e morreu na Inglaterra depois de espalhar seus ideais, sua grande obra e o livro O Capital, Karl Marx e considera com um dos três pilares da ciências sociais
Émile Durkheim é considerado um dos pais da sociologia moderna. Durkheim foi o fundador da escola francesa de sociologia, posterior a Marx, que combinava a pesquisa empírica com a teoria sociológica. É amplamente reconhecido como um dos melhores teóricos do conceito da coesão social.
Nem tudo que uma pessoa faz é um fato social, para ser um fato social tem de atender a três características: generalidade, exterioridade e coercitividade. Isto é, o que as pessoas sentem, pensam ou fazem independente de suas vontades individuais, é um comportamento estabelecido pela sociedade. Não é algo que seja imposto especificamente a alguém, é algo que já estava lá antes e que continua depois e que não dá margem a escolhas.
Maximilian Carl Emil Weber (Erfurt, 21 de Abril de 1864Munique, 14 de Junho de 1920) foi um intelectual alemão, jurista, economista e considerado um dos fundadores da Sociologia.
A ética protestante e o 'espírito' do capitalismo é considerada a grande obra de Max Weber e é o seu texto mais lido e conhecido.
Weber mostra a preferência educacional dos católicos por uma formação humanista, enquanto os protestantes preferiam formação técnica. Ao mesmo tempo, mostrou as diferenças profissionais entre ambos os segmentos.
Weber mostra que o espírito do capitalismo não é caracterizado pela busca desenfreada do prazer e pela busca do dinheiro por si mesmo. O espírito do capitalismo deve ser entendido como uma ética de vida, uma orientação na qual o indivíduo vê a dedicação ao trabalho e a busca metódica da riqueza como um dever moral. Weber acentua claramente que o 'espírito' do capitalismo não deve ser confundido com a 'forma' do capitalismo.
Portanto os três pensadores apresentados contribuíram para a formação do pensamento das ciências sociais e para os estudos posteriores de varias áreas do conhecimento humano.