Redes Sociais

Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

Carregando...

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A Rússia de Lênin e Stalin





Por: Bruno Ferreira



Ao chegar ao poder depois de expulsar a elite e os Czares que reinaram a Russia por seculos, Vladimir Lênin centralizou o poder e permitiu todos os partidos e políticos rivais fazerem parte da composição desse novo governo "popular", dando a partir daí poderes aos comitê central do Partido Comunista  expulsando também aqueles que não faziam parte da linha política que iria ser instalada na Rússia.
Em 1921 Lênin promove uma política econômica para tentar reverter o processo de decadência da Rússia essa política é conhecida como (NEP) a onde os camponeses tinham mais controle sobre os níveis da produção agrícola do que os bolcheviques mais rigorosos gostariam. Foi criada a U.R.S.S que seriam conhecida como União das Republicas Socialistas Soviéticas em 1922.
O Stalinismo começa com a  morte de Lênin, é Iossif Stálin expulsou e mandou matar os adversários do seu partido assumindo o poder no lugar de Lênin, Stalin estabeleceu uma linha mais dura  e um controle do estado ainda maior que se antecessor, mas em 1928 e 1937 instituiu o primeiro passo para uma maior expansão econômica russa os planos Quinquenais foi organizado de tal modo que ao final a URSS era uma sociedade altamente industrializada capaz de rivalizar com os E.U.A. Stalin  tambem aplicou uma política de “coletivização” onde as terras pertenciam aos Kulaks esses que eram grande fazendeiros foram obrigados a doar suas propriedades a cooperativas.


Outro grande feito da U.R.S.S e de Stalin foi conseguir a vitoria na segunda guerra, muitos historiadores acreditam que se não fosse a vitoria em Stalingrado o mundo poderia ser outro hoje
Mas a cara cruel do seu regime está na rede de campos de trabalho forçados (o gulag) e no “Grande Terror” de 36 – 38, com a ajuda da policia secreta Stalin e seu regime matou milhares de pessoas em campos de concentração especialmente inimigos políticos e a burguesia e a elite. Apenas com a morte de Stalin que esse terror chegou ao fim.
Portanto ninguém mais quer regimes opressores como o que aconteceu no século passado tanto nos de extrema direita com Hitler como de extrema esquerda com Stalin, mas o mundo de hoje procura uma política mais justa e menos elitista e burguesa e que seja está política cada vez mais voltada para os menos favorecidos, a revolução russa foi de extrema importância para dar o recado para a burguesia nos existimos e somos cidadãos a partir das ultimas décadas do século XX o mundo busca uma nova política baseada na Social Democracia e na esquerda menchevique.




Bibliografia
Guia Ilustrado Zahar - História Mundial  - Philip Parker.

4 comentários:

  1. Que burrice absurda,nesta era com tanta informação, afirmar que Hitler era de extrema direita. O partido Nazional socialista, dos trabalhadores!!! Pelo amor de todos os Deuses!!!

    ResponderExcluir
  2. concordo porém ele não é de esquerda
    É um erro, contudo, dizer que o fascismo ou o nazismo eram socialistas. Há diferenças importantes. O socialismo via na classe econômica, independentemente de fronteiras nacionais, a unidade social relevante; o fascismo, na raça ou na nação. O socialismo pregava a luta de classes, a derrubada do poder burguês; o fascismo pregava a harmonia entre classes no Estado e a luta contra o inimigo externo ou seus agentes infiltrados. Na economia, não queria estatizar tudo como fez a URSS; queria proteger a indústria, promover a autarquia produtiva ao invés do comércio internacional, formar grandes cartéis, coordenar as negociações entre trabalhadores e empresários, impor leis trabalhistas rígidas, investir pesado em obras estatais e exército. O modelo econômico do fascismo, mais do que socialista, era corporativista. Cada um no seu lugar, relações harmônicas entre os blocos com o Estado permeando tudo.

    Os dois movimentos rivais tinham, aliás, um inimigo em comum: a economia liberal, a velha ordem “decadente”, o individualismo, os especuladores, os comerciantes, os banqueiros não-aliados ao regime. A perseguição nazista aos judeus tinha muito desse ódio à suposta classe especuladora e usurária (cobradora de juros). Opunham-se frontalmente ao livre comércio e à livre iniciativa e a todas as relações voluntárias e não-direcionadas a objetivos estatais. Em seu lugar, a identificação entre sociedade e Estado, o partido como definidor dos rumos da nação. “Tudo no Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado”, como diria Mussolini.

    Apesar da derrota militar do fascismo, é curioso notar que a URSS e outros socialistas adotaram diversas características do antigo rival: o regime que começou com uma retórica internacionalista e revolucionária no campo dos costumes virou, sob Stalin, nacionalista, militarista, conservador e exaltador do grande líder, do pai da nação.

    E então, nazismo é direita ou esquerda? Depende de como definimos os termos. Aliás, o livre mercado é direita ou esquerda? (Resposta: nenhum dos dois). Acho que há diferenças relevantes entre socialismo e nazismo para que eles não sejam identificados; embora haja também semelhanças que não devemos perder de vista. Seja como for, uma coisa podemos dizer com toda a certeza: nazismo e fascismo não tinham nada de capitalistas; combatiam o livre mercado com todas as forças. Não eram liberais nem na economia, nem nos costumes, nem na filosofia. Assim como muitos capitães de indústria também não eram e não são. Via de regra, capitalistas não são capitalistas. Tá na hora de atualizar nosso vocabulário.

    veja o artigo completo achei interessante pra voce que esta em duvida e obrigado por sua contribuição...

    ResponderExcluir
  3. http://liberzone.com.br/nazismo-esquerda-ou-direita-resposta-a-cynara-menezes/

    artigo completo achei interessante...

    ResponderExcluir
  4. Que burrice absurda,nesta era com tanta informação, afirmar que Hitler era de extrema direita. O partido Nazional socialista, dos trabalhadores!!! Pelo amor de todos os Deuses!!!

    ResponderExcluir

Propaganda