Redes Sociais

Anuncio

Celular

Operação Salva Semestre

Celular

Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

quinta-feira, 31 de maio de 2012

A independência da America Espanhola




Por: Bruno Ferreira

Até 1775 o controle da Espanha sobre suas terras coloniais parecia incontestável até que os ideias da Revolução Francesa e da independência americana influenciou movimentos de independência na parte espanhola, com a chegada de Napoleão ao poder e a conquista da Espanha por ele foi a partir dai o momento oportuno para que as colônias consegui-se  rebelar pela independência sem poder mandar tropas a independência dos futuros países latinos americanos estavam certo.
A libertação da America espanhola nascia nos extremos opostos do continente, começando pelo sul com San Martin ex-oficial militar que comandou 5 mil soldados a partir da Argentina, através  dos Andes, até um ponto mais vulnerável do Chile,libertou também o peru.
Ao norte chegava Simon Bolívar, em 1819 Bolívar foi nomeado presidente da Gran Colômbia  uma união Colômbia, panamá e Equador, em 1821 ouve outras campanhas de libertação Nova granada e Venezuela, em 1810 surgia também movimentos de libertação no México comandado por Miguel Hidalgo  mas foi morte e no seu lugar Porfírio dias assumiu o comando do México e colocou uma ditadura.
No Brasil as classes coloniais mais altas queria um laço colonial, mas com a vinda da família real que só foi embora em 1821 deixando seu filho no poder a onde pediu  e proclamou a independência do Brasil e se coroou imperador, a uma diferença na independência portuguesa e espanhola enquanto o Brasil mantinha sua união territorial a America espanhola se fragmentou em varias republicas.
Para o Brasil o grande nome da independência e D. Pedro I e José Bonifacio articulador da independência brasileira, mas para a America espanhola foram dois grandes nomes Simon Bolívar seu sonho era uma grande união dos novos estados independentes, mas isso não aconteceu, e Jose de San Martín herói nacional da argentina na luta pela independência em 1812 onde também cruzou os Andes para pedir a independência chilena e peruana, ele foi morrer na França  em 1850.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Fontes Históricas




Por: Bruno Ferreira

As fontes históricas são de fundamental importância para a construção da escrita da história essas fontes são muitas hoje como: jornais, mapas, revistas, vídeos, cinema, livros, sites e imagens entre outros meios.
Não se passa nessa vida sem deixar marcas ou algum tipo de fontes históricas um dos maiores pesquisadores dessas fontes alem dos historiadores e sem duvida os arqueólogos que buscam fontes de povos desaparecidos.
E por meio dessa pesquisa de fontes históricas que se escreve a história e que determina o modo de como a história vai ser contada em diante na historiografia a diversos modos de escrever a história e de focar um acontecimento, podemos citar as vertentes historiográficas como o marxismo, positivismo, metódica, a escola dos Analles e sua gerações ao longo do século XX a fonte historiográfica aumentou e muito deste modo o fato histórico e muito bem contado e aprofundado, mas também ao mesmo tempo e mais influenciado pelas circunstâncias.
No começo a historiografia era produzida de dois modos através de documentos do estado e relatos e a olho nu como o historiador Heródoto a produziu deste modo a fonte não era totalmente certa ao longo da história o modo de escreve a história foi aperfeiçoando.
Hoje temos “historiadores do cotidiano” que podemos chamar de jornalista que escrevem todos os dias para jornais e revistas sobre fatos da vida humana e cotidiana nas suas variadas vertentes, o historiador não pode ser considerado apenas como um jornalista, pois a sua busca e diferenciada e aprofundada ele busca hoje a verdade do fato para que de tal forma o fato histórico seja o mais concreto possível.
Ate mesmo a fonte histórica pode ser manipulada, por isso existe uma ciência especial, a Heurística, só para cuidar da verificação e investigação da autenticidade das fontes históricas.
O mais importante da fonte histórica e saber distinguir o momento vivido do presente que estamos para saber que a história a mudanças constantes no seu processo que não tem um fim certo.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

A Economia do Seculo XX



Por: Bruno Ferreira

A partir da segunda guerra o mundo ficou ainda menor em termos economicos, graças a globalização, mas o que significa a palavra “globalização” essa palavra foi dita até com grande força até a chegada do novo século, pois ao longo da segunda metade do século XX a globalização foi acontecendo cada vez mais rápida a partir da integração dos mercados consumidores e produtores e também a partir daí que ouve um  crescimento das multinacionais, que expandiram pelo mundo suas empresas e fabricas entre as principais empresas as de carro, e bens de consumo.
Na busca por mercados novos entre os países que receberam essas empresas estão os chamados países de terceiro mundo a busca por mão de obra e mercados consumidores fez com que o aumentasse a demanda de empresas estrangeiras  entre os países que podemos citar estão: Brasil, México, áfrica do sul, índia, china, argentina e muitos outros criando nessas nações novos parques industriais aumentando o fluxo comercial entre o mundo e criando uma espécie de rede global de produtos podemos referir a essa globalização como também perda da identidade nacional de cada localidade.
Nesse novo mundo que nasceu graças ao capitalismo financeiro, e também com um aumentou industrial muito grande, ocorre também o aparecimento de vários problemas como uma rede de drogas e produtos piratas ou seja falsificados.
Com esse avanço da indústria uma arma forte para aumentar a produção industrial e a comunicação entre o mundo foi o aparecimento de novas tecnologias como o aumento do numero de telefones, fixos e celulares o aparecimento da internet que proporcionou melhor comunicação entre outros aparelhos que proporcionou uma interação mais rápida com diversos pontos do mundo de forma instantânea.
Esse novo mundo que surgiu também fez crescer o aparecimento de problemas sociais como aumento de drogas, crescimento de contrabando de animais, crescimento de uma concorrência desleal diminuindo o surgimento de novos empreendedores entre outros.
 Os governos também de certa forma aos fez abrir o mercado interno para essas grandes empresas facilitando o seu deslocamento em troca de empregos, mais tarde se descobre que os empregos eram mal remunerados em relação aos mesmos empregados de outros países desenvolvidos criando greves nos países subdesenvolvidos tirando de fora a China e India que permanece com um regime semiescravo de trabalho de fato o beneficio das mercadorias trouxe melhor conforto para todos, mas destruiu a cultura, e a economia de países de menor industrialização proporcionando também com isso o aumento de problemas sociais a partir do século XXI o termo globalização foi sendo economizando para um novo nome para a nova ordem mundial a Internet que ganha cada vez mais espaço no mundo e surgira nesse seculo que nasce uma nova forma economica para que deste modo o capitalismo consiga sobreviver.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

O Mundo Moderno: Século XX o século que foi Breve




Por: Bruno Ferreira

“A Europa começou a I guerra Mundial confiante domínio de grande parte do território do globo. Mas os custos humanos e econômicos do conflito levaram a um período de turbulência que engolfou o continente e também ajudou a dar inicio à Revolução Russa. Após a II Guerra Mundial, o continente foi forçado a abandonar a maioria de suas colônias, entrando num processo de unificação  política, enquanto a Guerra Fria  - conflito ideológico entre os EUA capitalistas e a URSS comunista – Assumia a centralidade. O final dessa luta, nos anos 1990, prometia uma nova era de paz, mas logo teve inicio um período de incertezas políticas e disputas regionais.”

O mundo que temos hoje não nasceu na revolução francesa, mas a nova ordem foi construída no ultimo século, através de um conjunto de pontos como político, econômico, tecnólogo, militar e cultural.
Podemos falar do ponto político a nascente onda revolucionaria de uma política que começa com as ideias de Karl Marx logo vemos que essas ideias ganharam o mundo e principalmente a classe trabalhadora, explorada durante séculos eclodindo na Rússia a tomada dos trabalhadores no poder, a partir daí o século XX se divide em duas versões da política que ganha maior força depois da segunda guerra mundial na chamada guerra fria.
No campo econômico o capitalismo quebra em 1929 fazendo deste modo a chegada de uma política autoritária e preconceituosa o fascismo e o nazismo e  o grande rápido desenvolvimento de Japão, Alemanha e Itália a economia cresce como nunca antes e o sistema capitalista decai em a famosa crise da bolsa de Nova York outra igual só ocorreria em 2008.
Com duas guerras e vários conflitos militares no ultimo século a tecnologia foi grande aliada, para que isso fosse acontecer cada vez mais rápido varias tecnologias apareceram, como computador, satélites, foguetes e também armas cada vez mais arrojadas como metralhadoras, tanques de guerra e a mais perigosa de todas as armas a bomba atômica.
O campo das comunicações evoluiu muito graças a chegada do homem a lua por meio de novas tecnologias. No campo das guerras a maior de todas a II guerra, foi consequência da I guerra um rancor e um ódio racista também motivou Adolf Hitler a fazer o maior massacre humano da história.
               Ao final de duas guerras o capitalismo nunca lucrou tanto com tantas vendas e empréstimos que a grande potencia os Estados Unidos fez a Europa toda fragmentada e dividida entre poderes econômicos distintos, ao longo da segunda metade do século as colônias da áfrica e Ásia ficaram independentes de suas metrópoles.
             O mundo caminhava para uma bipolirazaçao mas antes disso acontecer a Rússia entra em crise o muro de Berlim cai, deixando de existir a União soviética em 1990 a partir daí o mundo cresce e se capitaliza cada vez mais a Europa se une e forma um bloco econômico ao final da ultima década e rapidamente vemos o século que mais transformou a humanidade se acabar durante esse século a cultura humana se multiplicou através desses novos meios de comunicação como radio, TV, telefone e internet e cinema as artes e a vida foi retradas cada vez mais e mais fazendo do homem voltado mais para si próprio deixando de ser Teocêntrico e passando a ser cada vez mais  racional.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Legionário de Roma



Por: Bruno Ferreira

O que seria um legionário?

Um legionário era um soldado que fazia parte de uma legião,  esta  era composta de 4,500 a 5,000 mil homens, abordava 10 cortes, os legionários em geral eram cidadãos romanos eles começavam sua carreira aos 20 anos iria até o 50.
O legionário tinha uma variedade grande de armas com dardos de metros, tinham lanças de 3,5 m. e todos tinham um espadim e ainda tinha um escudo que era usado em manobras como a conhecida manobra tartaruga.
As legiões de Roma forma fundamentais para que o império chega-se ao tamanho que chegou e elas que garantiam o tamanho e a segurança do império mas chegado momento das invasões bárbaras  as legiões e o império foi enfraquecendo.
Durante a história vemos outros exércitos serem chamados de legionários e o caso da legião francesa, que foi criada para ter vários tipos de soldados ela abrigava    criminosos e na igreja católica também podemos citar outro tipo de legião  “legião de Maria.”

“ Em um seculo, Roma deixou de ser um cidadezinha provinciana para tornar-se a mais poderosa cidade da itália, com ambições no exterior que alarmavam a vizinha Grécia. A destreza militar dos romanos se devia principalmente à organização  de seus soldados em legiões e centúrias, o que lhes dava flexibilidade no campo de batalha e um método eficiente de fazer a guerra, algo entre a compacta falange e as espaçadas fileiras celtas.”
GILBERT Pg26

GILBERT, Adrian. Enciclopédia das Guerras: Conflitos Mundiais Através dos Tempos. São Paulo: M. Books, 2005.



quarta-feira, 16 de maio de 2012

Democracia da Grécia ao Brasil



Por: Bruno Ferreira

A democracia tem seu nascimento junto ao povo grego, apesar de ser chamada democracia poucos eram considerados cidadãos numa sociedade tão bem dividida em classes mais de forma geral a cultura do direito ao voto e das diferenças cresce em Atenas.
O surgimento da polis – cidade estado  - na Grécia Antiga representou grande avanço na política mundial, em Atenas o sistema de votos foi reformado por Clistenes que introduziu reformas  de governo.
De forma geral Atenas mudou para sempre o conselho democrático, no qual todo cidadão masculino, independentemente de origem social e riqueza tinha voto de mesmo peso com o passar dos anos a forma de democracia percorre o mundo e se espalha de diferentes formas nas sociedades, mas chega de fato a ser lembrada essa forma de política na atual era contemporâneo através das repúblicas nascentes na Europa e principalmente nos Estados Unidos
No Brasil o direito ao voto e a uma republica nasce em 1889 com a proclamação da republica, mas poucos participavam dessa republica como apenas generais do exercito e grande fazendeiros industriais e outros grandes e importantes da sociedade brasileira, outros tantos milhões ficaram fora dessa ideia democrática e por esse motivo a republica teve dois nomes a republica da espada e posterior a republica do café com leite essa primeira republica e chamada hoje de “republica velha” mais tarde depois do golpe de Vargas surge a bem representada republica populista de JK e Janio onde usa de suas políticas para levantar a comoção das massas.
Certamente depois de 25 anos de ditadura militar o melhor seria voltar a uma republica mais democrática e confiante ao povo com a posse de Tancredo Neves eleito indiretamente ao cargo e que não pode assumir, fica no seu lugar o vice Sarney a partir daí o Brasil nasce e o direito ao voto nessa altura da história era a todos o conceito de republica mudo e de democracia.
O mundo em suas diferentes partes busca sempre o ideal democrático vindo da Grécia e atualmente os estados unidos juntamente como o Brasil tem uma das democracias mais fortes das Américas, na Europa o conceito democrático e forte e na África aos poucos vai se formando uma ideia de rotatividade do poder apesar de ter uma política muito vinculada a religião a áfrica quer mudanças no modo de poder e de governo.
A Ásia a china permanece como o refugio de um comunismo que permanece apenas no modo de governo por motivos que os convém, a china não abandonara seus ideais, vemos no Japão e na índia sinais de uma democracia solida e aos poucos vão se construindo essa ideia de um mundo plural.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

A História dos Dias das Mães




Por: Bruno Ferreira

Essa história começou com a assinatura do presidente Getulio Vargas oficializando o dia das mães normalmente no segundo domingo de maio, sendo esta uma data especial, pois as mães recebem presentes dos seus filhos.
Mas a tradição de ter um dia das mães começou a muitos séculos desde da Grecia onde dedicavam esse dia também para a deusa Reia mãe comum de todos os seres e em Roma dedicava se três dias de comemoração também a uma deusa a Cibele, mãe dos deuses esta comemoração mudou quando o cristianismo passou a ser a religião oficial do império romano oficializando o dia de Cibele como dia de nossa senhora mãe de Jesus.
A pratica mais próxima dos dias atuais esta na Inglaterra do século XVII onde existia o domingo das mães, durante a missa desse dia os filhos entregavam presente a suas mães.
Nos Estados unidos a ideia veio com Anna Jarvis de criar uma data em homenagem a sua mãe que havia sido um exemplo de mulher e no ano de 1914 o congresso americano ofializou a data com isso outros muitos países fizeram o mesmo.
Após ser espalhado pelo o mundo essa data festiva Anna Jarvis foi contra, pois estava se tornando a data algo meramente comercial ,  esquecendo o verdadeiro significa do ocasião tão importante para a família a lembrança da mãe como fonte da vida e amor.