Redes Sociais

Anuncio

Celular

Operação Salva Semestre

Celular

Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Resenha: Construir as competências desde a escola




Por: Bruno Ferreira

INTRODUÇÃO
                Existem varias noções sobre competências, para poder acontecer essas competências e necessário um pré – conhecimento por mais simples que seja, e para escola Transmitir esse conhecimento e necessário  um determinado tempo.
Primeira abordagem
A competência pode se basear em múltiplos resultados, mas para o autor a competências e uma capacidade de agir eficazmente em um determinado tipo de situação, apoiada em conhecimentos, mas sem limitar-se a eles.
E através da competência do homem em resolver situações inesperadas, que o difere de uma maquina, e por causa da competência, que possui que o faz diferente e através de experiências renovadas aliada a treinamentos estruturantes e reflexões.

Cabeças Bem-Cheias ou Cabeças Bem Feitas
A escola tem duas visões sobre o currículo escolar uma e a transmissão de conhecimentos
(cabeça cheia) a outra e a construção de competências (cabeças feita) ou transmite o Maximo de conhecimento e deixe que ao longo da vida a pessoa construa as competências ou limita-se os conhecimentos e desenvolve as competências.
Em vários países como a França, a realidade da competência e da relação competência-conhecimento está no centro das reformas curriculares.

A irresistível Ascensão
A escola de hoje já trabalha de modo a formar alunos com competência para fomentar o mercado de trabalho.
Esta ascensão da competência na escola deve se ao fato da influencia da economia de mercado. O sistema educacional recebe influencias de cima para baixo embora as universidades enfatizem os saberes teóricos metodológicos.
Cada ramo de atividade defende um tipo de escola alguns ramos estão voltados para a vida, outras ligadas uma visão mais utilitarista se preocupa com o trabalho e as forças produtivas, mas a duvida e se o sistema educacional teria competência na formação das novas gerações para enfrentar o mundo de hoje e do amanha.


Uma possível Resposta à Crise da escola
A escola por vários motivos não acompanha, o nível de formação o jovens adquirem maior escolaridade, mas isso não garante que estejam mais bem preparados para a vida, ter um diploma não e a única coisa que garante o sucesso profissional. A pedagogia e a didática não tem contribuído muito para construir competência, apenas tem visado para aprovação para exames.
Seria necessária uma mudança educacional para melhor orientar as pessoas como agir em situações inéditas, com sensatez, mas a escola resiste a mudanças, pois tem questionamentos e contestações sobre uma nova abordagem.

A noção de competência
Existem de um modo geral três noções falsas sobre competências, na qual seguem-se:
A escola fala em competências influenciadas pela necessidade de expressar os objetivos de um ensino em termos de conduta, mas sem sair do tradicionalismo.
Outro significado é a oposição existente entre competência e o desempenho, onde o ensinamento não pode ser decorativo, embora ocorra na prática.
O ser humano apresenta geneticamente a competência de construir competências, e esta necessita de estimulo, por meio de aprendizagem.

Mobilizar os recursos; Uma Estranha Alquimia
O ensinamento em sala de aula está longe da realidade, um exemplo seria o aprendizado da língua estrangeira, apesar de haver um programa em métodos orais no ensino prático,  talvez estes não estejam surtindo o efeito para desenvolver a competência do aluno na comunicação.

Esquemas e competências

Esquemas constituídos e condutas de pesquisa

Competências, Savoir-Faire, recursos

Analogia e Conjunto de Situações

Exercício e Treinamento na Formação de Competências

O que está em Jogo na Formação

                        
Bibliografia.


PERRENOUD, Philippe, Construir as competências desde escola. Porto Alegre, Artmed, 1999 (páginas 01 a 33).

Nenhum comentário:

Postar um comentário