Redes Sociais

Anuncio

Celular

Operação Salva Semestre

Celular

Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

quinta-feira, 13 de junho de 2013

A vida de Sigmund Freud (1856-1939) : uma breve história.



Por: Anderson Dias

" Olhe para dentro, para as suas profundezas, aprenda primeiro a se conhecer"  - Sigmund Freud

A psicanálise.


        Sigmund Freud (1856-1939) foi o idealizador da Psicanálise, a primeira teoria formal sobre a personalidade, e a mais conhecida. Apesar de sua natureza polêmica, a psicanálise tem uma influência profunda que, após mais de um século depois do seu surgimento, continua sendo a estrutura para o estudo da personalidade. O trabalho de Freud afetou todo modo de pensar a personalidade, seja na psicologia ou na psiquiatria, além de causar um grande impacto na nossa forma de encarar a natureza humana. Sem dúvida, poucas idéias na história da civilização tiveram uma influência tão ampla e profunda como a de Freud. Muitas das teorias da personalidade surgidas após a psicanálise foram derivadas dela. Outras devem parte de sua força e rumo à oposição feita à psicanálise de Freud.

Os primeiros anos.


        No dia 06 de maio de 1856 nascia Freud, em Freiberg, Morávia (hoje Pribor, República Tcheca), filho de um comerciante de lã relativamente malsucedido, o que levou a família a mudar-se para Leipzig, Alemanha. O pai de Freud era severo e autoritário, tinha 40 anos quando Freud nasceu. Mais tarde, quando adulto, Freud se lembraria de sua infância com hostilidade, ódio e ira contra o pai. Escreveu que se sentia superior a ele desde os dois anos. A mãe de Freud era magra e atraente, mãe protetora e carinhosa, tinha 20 anos quando ele nasceu, e foi a terceira esposa de seu pai. Freud sentiu uma ligação apaixonada e sexual por ela, o que influenciou, sem dúvida, no desenvolvimento do seu conceito de Complexo de Édipo. Grande parte de sua teoria foi influenciada pela suas vivências de infância e, portanto, pode ser considerada de natureza autobiográfica. Mais tarde, quando Freud tinha 4 anos, a família mudou-se novamente, desta vez para Viena, Áustria, onde permaneceu por quase 80 anos.

        Freud crescia e sua mãe orgulhava-se dele, convicta de que se tornaria um grande homem, o que pode ter influenciado características de sua personalidade como o alto grau de autoconfiança, grande ambição de vencer e sonhos de glória e fama. Freud era o primogênito de sua mãe, guardava rancor de todos seus irmãos ( 7 irmãos). Expressou raiva e ciúme quando nasceram os concorrentes ao amor de sua mãe. Freud sempre foi muito inteligente e estimulado por seus pais a ponto de suas irmãs serem impedidas de estudar piano para não incomodá-lo em seus estudos. Ingressou na faculdade um ano antes do habitual e sempre liderou sua classe. Fluente em alemão e hebraico, dominava o grego, o francês, o inglês, o latim, o italiano e o espanhol. Dentre as poucas profissões abertas aos judeus em Viena, optou pela Medicina na Universidade de Viena. Não desejava ser médico, mas acreditava que a medicina poderia levá-lo a uma carreira na área de pesquisa científica, o que poderia lhe render a fama que ardentemente desejava.

A cocaína.

        Durante o curso de medicina Freud fez experiência com a cocaína, publicando em 1884 um artigo sobre os efeitos benéficos dela. Ele fez uso da droga e, de acordo com cartas publicas após sua morte, continuou a usá-la até a meia-idade. Insistiu também para que sua noiva, suas irmãs e seus amigos a experimentassem. Foi um entusiasta da substância, chegando a descrevê-la como droga miraculosa e substância mágica que curaria muitas doenças. No entanto, o que ele esperava que lhe trouxesse a fama, trouxe-lhe a infâmia e pelo resto de sua vida tentou livrar-se disso retirando até mesmo de sua própria bibliografia todas as referências à substância, além de ter sido severamente criticado por seu papel na expansão do uso da cocaína nos E.U.A e na Europa, que durou até a década de 1920.

A base sexual da neurose.


        Em 1881 Freud começou a trabalhar como neurologista clínico e passou a analisar a personalidade daqueles que sofriam de distúrbios mentais. Foi para Paris e estudou alguns meses com o psiquiatra Jean Martin Charcot, pioneiro na utilização da hipinose, Charcot o alertou sobre a possível base sexual da neurose.
        Ao voltar para Viena, Freud foi novamente alertado sobre a possível origem sexual dos problemas emocionais: um colega descreveu a ansiedade de uma paciente, que o terapeuta acreditava que provinha da impotência de seu marido, com quem não mantinha relações sexuais em 18 anos de casamento. "A única receita para este tipo de doença ... nos é suficientemente familiar, mas não podemos recomendá-la. Ela é a seguinte: Penis normalis dosim repetatur!¹".
        Baseado nesses incidentes e em seus próprios conflitos sexuais, pode-se sugerir que Freud estava aberto para a possibilidade de uma base sexual para a neurose, mas foi somente em 1896, depois de vários anos de prática clínica, que convenceu-se de que os conflitos sexuais eram a causa básica de todas as neuroses.

O auge do sucesso.


        Por meio de seus artigos e livros publicados o seu trabalho foi se tornando conhecido, o que atraiu um grupo de discípulos que se reunia com ele semanalmente buscando aprender a psicanálise. Entre tais discípulos estavam Carl Jung e Alfred Adler, que depois romperam com Freud e desenvolveram suas próprias teorias. Freud os considerava traidores e nunca os perdoou por questionar o seu enfoque da psicanálise. 
         Em 1909 Freud recebeu o reconhecimento formal da comunidade de psicologia norte-americana e recebeu o título de doutor honorário na Clark University em Worcester, Massachussets. A psicanálise foi muito bem recebida no E.U.A e dois anos após a sua visita, seus seguidores norte-americanos fundaram a Associação Americana de Psicanálise. Em 1920 mais de 200 livros sobre psicanálise já haviam sido publicados. As principais revistas americanas publicaram artigos sobre Freud. Isso tudo o ajudou a ter fama  internacional.
        Freud atingiu o auge de seu sucesso entre as décadas de 1920 e 1930. Fumava cerca de 20 charutos por dia e submeteu-se a 33 operações para tratar de câncer na boca entre 1923 e 1939, ano de sua morte. Em 1933 os nazistas subiram ao poder na Alemanha e expressaram o que sentiam por Freud queimando publicamente seus livros. Em 1938 os mesmos nazistas ocuparam a Áustria e, apesar do apelo dos seus amigos, Freud recusou-se a sair de Viena. Sua casa foi invadida  várias vezes e depois de sua filha  Anna ser detida, ele concordou em ir para Londres. Quatro irmãs suas morreram em campos de concentração nazistas.

A morte.


    Em Londres sua saúde pirou, mas ele permaneceu trabalhando até quase o último dia de vida. Em 1939, no final de setembro, disse a seu médico, Max Schur: "Hoje em dia, viver não é nada mais do que tortura. Não faz mais sentido". Max havia lhe prometido que não o deixaria sofrer desnecessariamente e ministrou três injeções de morfina nas 24 horas seguintes, cada dose maior do que o necessário para a sedação , e pôs fim aos longos anos de sofrimento de Freud.
___________________________________________________
1. Tradução: Pênis normal, doses repetidas.
Bibliografia:
SCHULTZ, Duane P.; SCHULTZ, Sydney Ellen. Teorias da Personalidade. 2.ed. Trad. de All Tasks. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

2 comentários:

  1. Gostaria de ter conseguido ler o seu artigo, mas fica impossível com tantas propagandas encobrindo a escrita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho que o seu computador deve estar com virus pois não tem propagando no meu blog...

      Excluir