Redes Sociais

Anuncio

Celular

Operação Salva Semestre

Celular

Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

domingo, 18 de agosto de 2013

“Uma poeira de acontecimentos minúsculos”: Algumas considerações em torno das contribuições teórico-metodologico da micro – historia.


Resumo por Bruno Ferreira
RESUMO DO ARTIGO

“Uma poeira de acontecimentos minúsculos”: Algumas considerações em torno das contribuições teórico-metodologico da micro – historia.

           
O ambiente de historiográfico aumentou pelo fato de terem aumentando o curso de pós graduação e com isso o aumento de novas fontes e pesquisas da historiografia que usam de outros campos do conhecimento para contribuir com a historia entre está a antropologia, sociologia e psicologia entre outros.

Um breve histórico

A Micro historia é uma abordagem historiográfica que surge na Itália meados dos anos 70  do século XX utilizavam nessa abordagem de historiadores como Grendi, Giovanni Levi, Carlo Ginzburg, Carlo Poni, esses eram intelectuais reunia em torno de uma revista e assim o surgimento desse gênero.
A fragmentação surgida na Nova Historia contribui para o surgimento da micro historia, uma das historiografias que ajuda para a formação da micro historia, a escola francesa influencia nesta, mas também aos poucos vai se definindo se a micro-historia composta por alguns nomes.
Para Jacques Revel à micro-historia surge como reação e frente a historia social da escola dos Annales. A micro historia refletirá sobre a historia quantitativa propondo novas formas para a pratica historiográfica, esta nova abordagem busca novas propostas metodológicas e teóricas e vai aos poucos ganhando espaço saindo dos grandes centros da historiografia para novas formas.
E aos poucos vai ganhando espaços de historiadores mais conhecidos e sendo utilizado por esses a micro-historia rompendo as barreiras das regiões e passando a ser adotada em outro locais, no caso do Brasil a micro historia ainda não tem grande procura, um dos motivos para esta pouca procura seria a mal diferenciação de ser confundida com outras historiografias como a historia cultural, mentalidades e cotidiano como outras.
Também fazendo parte dessa resistência esta a oposição da escola Marxista esta que que tem grande publico no campo universitário brasileiro, desta forma ela recebe uma carga de forte preconceito. Nos aos 90 a micro-historia italiana algumas obras dessa passa a ser traduzida, mas mesmo assim o uso desta era baixo e poucas obras entram na classificação da micro historia, podemos destacar na bibliografia utilizada para quem usa os micro historiadores o historiador Ginzburg e outras vias da historia cultural.

O que é micro – historia?
         Esta pergunta gera muitas interpretações, mas leva a refletir a micro-historia como sendo o que de fato contribui para  a construção do conhecimento, e o que leva a ser de fato a micro historia.
            Para o historiador Ginzburg rótulos que impõe a ele não e importante, e essas como outras abordagens historiográficas não deve fazer parte do que importa, porem a micro historia apesar de ser vista como rotulo, mas que possui características próprias comparadas a outras historiografias também sabe agregar e propõe ate uma mesma abordagem do que outra historiografia.
            Pode destacar a utilização da antropologia e da historia narrativa para a construção da micro historia essas que fazem parte também do campo historiográfico da terceira geração da escola dos Annales, tendo também contribuições  da historia clássica, como também a historia social, outras historiografias contribui para a micro – historia porem esta tem suas particularidades como sua metodologia.
            A Micro historia foi sendo formulada através da revista italiana Quaderni Storici durante as décadas de 70 e 80, podemos utilizar a definição de micro historia utilizada pelos micro- historiadores como Grende que fala que a micro historia valoriza os procedimentos de pesquisa e técnicas utilizadas e também a utilização de um troca com a antropologia social e paradigmas historiográficos.
            Nessa construção da micro-historia esta a questão da escala de analise que e fundamental para definição de micro historia, usando de uma profundidade analítica daí  acontece a valorização de discussões teóricas.
            Para Roger Chartier as abordagens novas buscam a restauração  do papel dos indivíduos na construção dos laços sociais construindo assim a proposta da micro historia que e analisar o objeto em escala menor.
            Para Jean Boutier e Dominique Julia o surgimento da micro historia acontece uma crise  de paradigmas procurando assim novas respostas sendo a micro historia uma das abordagens que busca o deslocamento no foco aumentando também os dados  sendo examinada em todas relações sociais, individuais e coletivas, fazendo com que apareça a atuação dos atores sociais.
            Para Natalie Zemom Davis a definição da micro historia tem muitas dificuldades para ser escrita pois carece de informações para ser produzida sendo exigido uma detalhamento maior, sendo um equivoco pensar que a micro historia e fácil de ser escrita.
            Se for analisada a micro historia como uma historia que usa a retomada da analise procurando discutir diversos pontos podemos colocar esta ate mesmo como continuadora de importantes historiadores.

A redução da escala de analise
         A redução da escala analítica faz parte da micro historia como de outras correntes historiográficas, com a sistematização esta redução tornou –se  estrutura central para o ambiente historiográfico.
            A diferenciação segundo Revel está que para a micro historia a diferenciada em abordagem e intenções  e procedimentos, a escala pode ser posta  a serviço  de estratégias de conhecimento podendo modificar sua forma sua trama.
            Sendo criticada por sua redução e sua importância, mas procurar um escala reduzida não significa a não importância, mas sim de fundamental importância para a compreensão total, utilizando para isto a ideia de um mapa sabendo que o que está no mapa não é o território mesmo a historia seria a mesma coisa.
            Levi foi um dos  historiadores que durantes os anos foi mudando sua abordagem de uma historiografia econômica, quantitativa  e passando aos poucos para a micro ele encaminha-se para esta pesquisa micro.
            Para ele as observações microscopias levantadas ajudaria a entender temas com outras abordagens como, por exemplo, o comercio de terra, ao reduzir sua pesquisa mostrava que o preço de terras mudava de acordo com o parentesco  entre as partes, mostrando desta forma os relacionamentos sociais e pessoais, chega-se a conclusão de que fenômenos pesquisados assumem nova relevância quando altera a escala de observação, para Lepetit a variação da pesquisa que ira direcionar a importância e o foco desta mesma.
            A outro problema enfrentando na micro historia é a relação entre a micro e  macro gerando duvida e muita discussão a respeito, apesar de serem sem duvida integradoras que revelem perspectivas distintas tendo mas suas particularidades possuem níveis de entendimento diferentes.
            O que também diferencia ambas a historia micro da macro é o objeto a ser estudo o tipo de analise a ser feita sobre este, para Ginzburg esta oposição não existe e afirma que não pode ocorrer a rotulação da historiografia.
            Chega à conclusão que a historia total ou geral e será algo que não chegara a uma conclusão  para os historiadores o certo entre micro e macro será a associação para que desta forma ocorra uma nova perspectiva para a historiografia atual, sendo para os micro-historiadores a construção de diferentes realidades que fazem parte de uma forma multiplica.
            A micro historia é diferente na fabricação do seu método pois ela usa diferentes dimensões a onde desdobra-se, ao fazer esta analise vai criando-se uma analise mais completa e complexa. Portanto a questão da analise da escala é fundamental para a experiência proposta da micro historia, a questão metodológica também é relevante para os historiadores da  micro historia.

Fontes, metodologia e experimentalismo.
         Acredita que na construção da micro historia está tenha um grande material empírico buscando com isso  formulações teóricas  e informações trazidas pelas fontes, buscando segundo Ginzburg discutir com essas fontes os problemas abordados sendo de fundamental importância a utilização de variedades quantitativas e qualitativas de documentos históricos buscando sempre ter o Maximo possível desses.
            A fonte deve estar ligada aos procedimentos teóricos, Revel chama a atenção pelo fato que a Micro Historia não tem um forma ou um documento que determina como está será feita ou escrita, mesmo assim ocorre à busca dessa construção dessas fontes de forma a ser questionada e interrogada pelo historiador repetidamente tendo sempre a busca de evidencia esta perspectiva e feita por Thompson.
            Este caráter experimental será ainda relacionado a novos métodos tais como elaboração de teses e uma observação que fará nascerem formas e organizações novas, destacando nesse processo o Historiador Carlo Ginzburg  usando hipóteses de analises inovadoras.
            A metodologia demonstrada por Ginzburg na criação do seu artigo Sinais vai alem da pesquisa micro-historica e chegando a ser comparativo em outros casos segundo ele dito, como as obras de Arthur Conan Doyler criador de Sherlok Holmes, e por Freud em o Saber Psicanalítico, este método ficou nomeado de método indiciário, fazendo por ele uma comparação dos três.
            Porem a construção do seu conhecimento e denominado de “Galeano” e lutou para tirar do corpus cientifico as noções individuais, ele usa o método indiciário a fim de alcançar por este pontos inalcançáveis, ocorre um ambiguidade em procurar usar uma orientação cientifica frangil com o intuito de atingir resultados altos.
            Portanto chega a conclusão de a flexibilidade torna-se a parte principal, ocorre ai o aumento do risco, criando grande variedade de temas a serem abordados  porem será sempre um risco a fim de seja revelado o passado ou que seja este desconhecido desta nova perspectiva historiográfica.

Conclusão
         Portanto chegamos à conclusão de que a micro historia faz parte de uma nova abordagem historiográfica e que oferece uma nova forma historiográfico criando um leque de opções podendo este ser pesquisado de diferentes escalas de pesquisas, podemos observar que alguns historiadores foram bem sucedidos em suas pesquisas e criaram e enriqueceram a micro historia e muitos usaram para isso ligações com outras ciências que agregaram em sua pesquisa, utilizando nessas pesquisas documentos tantos quantitativos como qualitativos  criando assim trabalhos cada vez mais recortados  e detalhados construindo tudo isto de forma minuciosa e as pesquisas micro históricas terão ainda muito a ser desenvolvido e pesquisado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário