Redes Sociais

Anuncio

Celular

Operação Salva Semestre

Celular

Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

sábado, 28 de novembro de 2015

Introdução a História



Quando lemos um jornal ou uma revista, vemos várias notícias: guerras, violência nas cidades, desemprego, greves, destruição de florestas, projetos contra a fome, etc. Notícias que mostram os problemas enfrentados por homens, mulheres e crianças em todo o mundo.
Este é um mundo em que a pobreza e a riqueza convivem em um quadro de grandes desigualdades sociais. A História ajuda a entender a realidade mundial. Estudando a maneira como as pessoas viviam no passado, como se relacionavam e transformavam o ambiente ao seu redor, é possível compreender melhor os problemas que enfrentamos no dia-a-dia.
História é uma ciência humana que estuda o desenvolvimento do homem no tempo. A História analisa os processos históricos, personagens e fatos para poder compreender um determinado período histórico, cultura ou civilização.
Um dos principais objetivos da História é resgatar os aspectos culturais de um determinado povo ou região para o entendimento do processo de desenvolvimento.
Entender o passado também é importante para a compreensão do presente.
O estudo da História foi dividido em dois períodos: a Pré-História (antes do surgimento da escrita) e a História (após o surgimento da escrita, por volta de 4.000 a.C). Para analisar a Pré-História, os historiadores e arqueólogos analisam fontes materiais (ossos, ferramentas, vasos de cerâmica, objetos de pedra e fósseis) e artísticas (arte rupestre, esculturas, adornos). o estudo da História conta com um conjunto maior de fontes para serem analisadas pelo historiador.
Estas podem ser: livros, roupas, imagens, objetos materiais, registros orais, documentos, moedas, jornais, gravações,etc.
A História conta com ciências que auxiliam seu estudo. Entre estas ciências auxiliares, podemos citar: Antropologia (estuda o fator humano e suas relações), Paleontologia (estudo dos fósseis), Heráldica (estudo de brasões e emblemas), Numismática (estudo das moedas e medalhas), Psicologia (estudo do comportamento humano), Arqueologia (estudo da cultura material de povos antigos), Paleografia (estudo das escritas antigas) entre outras.
Periodização da História Pré-História: antes do surgimento da escrita, ou seja, até 4.000 a.C.
Idade Antiga (Antiguidade): de 4.000 a.C até 476 (invasão do Império Romano)
Idade Média (História Medieval): de 476 a 1453 (conquista de Constantinopla pelos turcos otomanos).
Idade Moderna: de 1453 a 1789 (Revolução Francesa).
Idade Contemporânea: de 1789 até os dias de hoje.

A tradicional divisão da História em idades Pré-história, Antiga, Média, Moderna e Contemporânea é muito difundida no Ocidente. Entretanto sofre forte crítica na atualidade, sendo contestada por correntes que indicam ser esta divisão parcial, por privilegiar a História das sociedades dominantes e ignorar ou depreciar a História das sociedades dominadas. Além disso, supervaloriza a História dos países ricos.
É, então, apresentada uma divisão que utiliza como critério o Modo de produção econômico que demonstra a organização da
economia e as relações sociais decorrentes. Por esta classificação são apresentadas as situações das classes dominantes e dominadas

De acordo com o Modo de produção, a História é dividida da seguinte forma:



Pré- História Antiga
Aparecimento do homem

Modo de Produção Primitivo
--------------------------------------------
Escrita
Modo de Produção Asiático Modo de Produção Escravista
Média
Modo de Produção Feudal





Moderna
Modo de Produção Mercantilista

Modo de Produção Pré-Capitalista

Contemporânea
Modo de Produção Capitalista

Modo de Produção Socialista

Primitivo: caracteriza as sociedades primitiva, pré-históricas. A produção era comum a todos os membros da comunidade que usufruíam em condições de igualdade. Todos trabalhavam e não existiam classes sociais.

Asiático: as terras pertenciam ao Estado e as relações sociais eram de servidão coletiva.

Escravista: apareciam os senhores, os donos. A eles pertenciam as terras, os meios de produção e os trabalhadores (escravos). A riqueza se concentrava nas mãos dos senhores. Existiam a classe dominante e a dominada. As relações sociais eram de dominação.

Feudal: os donos mantinham a classe trabalhadora na servidão. Os senhores feudais formavam a classe dominante.

Mercantilista: caracteriza-se por um grande crescimento do comércio, o que exigia maior produção, construção de navios e grandes capitais. A burguesia enriqueceu, os reis absolutistas montaram cortes luxuosas e fizeram muitas guerras. É o período do pré-capitalista.

Pré-Capitalista: servos libertos arrendam partes de propriedades feudais e a produção agrícola passou a orientar-se para a venda nas cidades e não apenas para o consumo. Novas técnicas de cultivo aumentam a produtividade do solo.

Capitalista: o trabalho passa a ser assalariado e estabelece-se a luta de classes entre a classe proprietária e a classe trabalhadora (proletariado).


Socialista: das condições do capitalismo desenvolve-se o modo de produção socialista, que defende a organização de uma sociedade sem classes sociais.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir