Redes Sociais

Anuncio

Celular

Operação Salva Semestre

Celular

Quanta Gente.

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

O Fim da Era Petista - Impeachment de Dilma Rousseff

Dia 31 de Agosto de 2016

O Fim da Era Petista



Por: Bruno Ferreira


            Em meado de 2002 os candidatos a presidência da republica era Ciro Gomes, Lula, Serra, Garotinho esses eram os candidatos a presidência da republica do Brasil, depois de três eleições e três derrotas Lula chega ao poder por meio de uma campanha de promessas de melhor distribuição de renda e crescimento econômico, o discurso de ódio foi substituído por um discurso positivo progressista bem montado pelo marketing e alianças políticas.
         No Brasil de 2002 o país encontrava-se em uma crise de desconfiança e sua economia dependente e pequena, não crescia e apenas aumentava a desigualdade social, o risco país era alto, o presidente FHC por dois mandatos, em seu primeiro mandato conseguiu estabilizar a moeda e o país, porém no segundo mandato o país estava em uma crise estrutural atingido pela crise da Rússia que chegava ao Brasil.
        A alternativa para combater esta crise foi a desvalorização da moeda e um forte venda do patrimônio publico as chamadas privatizações. No final do mandato FHC teve dificuldades. No seu segundo mandato, lembrando que por troca de favores esse fez a aprovar a reeleição no país.
          O alto desemprego e o baixo crescimento econômico estavam na base de uma grande tensão social, a divida publica ficou gigantesca, o que entrava em contradição com o resultado das vendas das estatais, sem recurso para investir, ou sem interesse, o governo se viu diante da crise de falta de energia elétrica que provocou o apagão, o país teve que racionar energia, Fernando Henrique não conseguiu diminuir a pobreza e só piorou a economia, desta forma FHC não conseguiu fazer sucessor.
         Na tomada do poder Lula colocou Antonio Palocci na fazenda para ter um programa de austeridade e colocou Henrique Meirelles no Banco Central afim de conter os ânimos do mercado, o Brasil foi estabilizando e para ajudar a retomada de distribuição social foi criado o programa fome zero que tornou-se “ Bolsa família” com um política social forte e com austeridade, e com forte popularidade ele foi reeleito.
         Lembrando os escândalos do Mensalão onde Roberto Jeferson denunciou as mesadas recebidas pelo governo para votar projetos no congresso, mesmo assim o governo ganhou as eleições de 2006, Lula usou de estratégia ser vitima da imprensa que o perseguia, e ganhou a presidência da republica.
             Com uma nova política econômica de crescimento baseado por Guido Mantega Lula trabalhou em um novo programa de desenvolvimento para o país, o PAC – Programa de Aceleração do Crescimento que teve como estrategista a então ministra Dilma Rouseff, com forte crise internacional Lula, Mantega e Dilma trabalharam num programa anti-crise que consistia em incentivar o consumo e aumentar a renda, assim o país cresceu e saímos do primeiro momento da crise internacional que vinha dos Estados Unidos e se espalhara pelo globo. 
              O fim da Era Lula é marcado por escândalos políticos, Mensalão e crise de corrupção porém por um forte elevação do Brasil no cenário mundial com programa de elevação de renda, ganho do salário mínimo, aumento do consumo e crescimento econômico baseado na distribuição de renda, porém problemas estruturais do Brasil entrava o crescimento, como péssima formação do povo.
            A campanha de 2010 é marcado pela vitoria de Dilma sucessora de Lula, naquele momento vemos a chegada dessa, pelas mãos de seus padrinho Lula que encontrava-se como o "Pai da nação" o novo Getúlio Vargas do século XXI.
           O governo Dilma é a continuação de políticas econômicas de distribuição de renda e elevação da qualidade da educação com o aumento de investimentos privados e estatais por meio do PAC 2, criticas feitas por parte da imprensa a esse programa. 
Diferentemente de Lula, Dilma tem uma personalidade marcada por sua forte postura ríspida e de pouco dialogo, um ponto negativo para um candidato a presidência da republica, a sua historia politica é marcada por sua prisão durante a ditadura, foi torturada e chegou em 2010 à presidência da republica pelas mãos de Lula que naquele momento contava com aprovação de 80% em pesquisas feitas.
        O primeiro mandato do governo Dilma é marcado por incentivo ao consumo e investimento estatal, uma política econômica parecida do Lula e com mudanças no Banco Central, politicamente a aliança para ter governabilidade foi a entrada com maior presença do PMDB, com seu vice-presidente Michel Temer.
         Ao final do primeiro mandato e com proposta de reeleição Dilma refez sua trajetória buscando mostrar um país que em 2014 já representava desgaste econômico e aumento da inflação, a vitoria foi certa, com um forte marketing político, apesar de ser apertado no segundo turno, pois seu adversário Aécio Neves teve forte crescimento com o apoio de Marina Silva e a Morte de Eduardo Campos em um acidente de avião.
          O segundo mandato poderia ter dado certo se sua medida não fosse tomada de forma contraria aquilo que ela pregava na campanha.
       O investimento em educação e a política de aumento da parceria publico privado afim de incentivar o crescimento, porém agrava-se com forte descontentamento da classe industrial e burguesia devido a inflação e queda do consumo e aumento de imposto, e a descoberta de forte corrupção dentro da Petrobras.
         A alternativa para crise política e econômica foi a redescoberta pela oposição do impeachment, que foi utilizado, pelo presidente da camará dos deputados que pediu a abertura de impeachment com uma retaliação a sua cassação por forte escândalos de corrupção, tudo isso explorado por uma mídia forte politicamente, com uma economia péssima, com a desconfiança da população a respeito da Presidenta Dilma, a abertura do processo de Impeachment acontece pelas mãos de Cunha com argumento das chamadas pedaladas, esse seria o argumento para a queda de Dilma Rousseff, lembrando que outro presidente já tinha feito esses mesmo tramite.
      Afastada do cargo com votação na camará dos deputados e com recursos para voltar a presidência no Senado, no dia 31 de agosto Dilma deixa a presidência da republica pelas mãos dos senadores que votaram por sua Saida, 61 favoráveis, e 20 contrários com 0 de abstenção, foi desta forma cassado o mandato de Dilma assumindo como presidente efetivo o seu vice, chamado por ela de “usurpador” Michel Temer.
             Lembrando que para os Petistas e Dilma não trata-se de um movimento de impeachment, mas de um golpe jurídico parlamentar, pois a senhora presidenta não cometeu crime de responsabilidade. 
           Por fim observamos que a grande mídia mundial atribuí a queda de Dilma a descontentamento dos políticos com sua postura por não barrar a operação lava jato, e também por uma política econômica desastrosa , além de interesses estrangeiros devido a descoberta de reservas de petróleo no Brasil, com a saída de Dilma observa-se gradativamente o desmonte dos programas sociais, a radicalização da política brasileira, e para piorar a falta de alternativas políticas descente para o futuro do país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário